30.9.10

Fall Season 10: Aquele com as Resoluções sobre as Séries Novas


Acabou Setembro. Como passou rápido! E com o fim do mês mais aguardado pelos fãs de série, chega o fim das semanas de estreias de temporada e de série novas (apesar de haver algumas em outubro e novembro). Foi tão rápido... Agora é seguir em frente assistindo as novas temporadas dos shows antigos e curtir as novas histórias, novas séries (enquanto elas durarem) que estão por aí e é um bom número, ainda que muitas delas tratem do mesmo tema.

Neste post eu vou comentar brevemente das séries e pilotos que eu assistir durante este mês e finalmente chegar a conclusão de quais serão as que eu foi acompanhar. Lembrando que vou seguir a ordem cronológica de estreia.

29.9.10

Fail Season 2010: Good Bye 'Lone Star'


Estava demorando...
Passado o primeiro momento onde as pessoas conhecem todas as novas séries, chega o momento onde as rede pegam suas foices e tochas e fazem uma verdade caça as bruxas contra as baixas audiências. Geralmente, a maioria das séries que estreiam conseguem viver mais de um ano e outras coitada, não sobrevivem a semana seguinte.

A a primeira vítima da "Fail Season 2010" é Lone Star, que após dois episódio foi oficialmente cancelada pela FOX, e já estava na zona de perigo ao final do piloto.

28.9.10

Considerações sobre The Whole Truth

Duas versões para o mesmo crime. Isso acontece em todos eles mais geralmente na TV só assistimos a um lado, que é geralmente a acusação. The Whole Truth vem para abrir as portas de ambos os lados, mostrando claramente os esforços da defesa e da acusação, nos dando uma dimensão maior do crime e consequêntemente nos fazendo ser parte do júri e decidirmos os inocentes e os culpados.

A série tem uma proposta muito interessante. O formato da série também é algo bem feito, jpa que os dois lados tem a mesma quantidade de tempo para contar sua versão da história. No primeiro episódio contou o caso chamado "Ave Maria", que investigava a morte de uma jovem estudante e a culpabilidade ou não do seu professor.

De um lado, Kathryn Peale e a equipe de acusação, levantando provas, testemunhas e tudo mais que compravasse que Glen Sellers era culpado pelo estupro e morte da adolescente. Do outro Jimmy Brogan, que tinha a missão de defendê-lo e encontrar meios de anular tudo o que a acusação tinha levantado.

Depois desses dois "blocos de apresentação" do caso, chega a hora do julgamento onde são expostos tudo o que foi coletado do caso, interrogam testemunhas e tudo mais, diante do júri, que no fim decide tudo.

Bem, na teoria a série chama atenção e pode até parecer muito boa, mais na prática, faltou emoção. Achei o caso sem um apelo emocional para nenhum dos lados. Me lembro de outra série do estilo, Raising the Bar, que apesar de todos os réus serem inocentes, havia um apelo que nos levava a torcer ou não por eles. Talvez pela imparcialidade total da forma que o caso é abordado, requer uma atenção especial, já que não há uma imposição para qual lado você deve "torcer".

Enfim, pelo que soube, a série já está na zona de perigo e não sei se durará muito. Geralmente eu escrevo sobre as séries que eu vou acompanhar e eu não tenho certeza se seguirei The Whole Truth, mais havia coisas demais para falar sobre ele e não seria uma boa fazer isso no Twitter, que é onde eu geralmente posto pequenas considerações sobre os episódios que eu vejo.

É isso!

Até!

27.9.10

E agora Doutor House?

A abertura da sétima temporada foi exatamente aquilo que eu sempre quis ver em House. Finalmente o "Huddy" aconteceu. Em definitivo. Pra valer! Alguém mais achou as tentativas de House para ser romântico um tanto... "own"?

Também foi um dos episódio mais engraçados que eu vi nesse comecinho de Fall Season, competindo inclusive com as comédias. Grande parte disso tudo é devido as tentativas de House para ser romântico. O mais legal de tudo que ele e Cuddy são tão intensos que em um dia eles viveram praticamente um história de amor completa. Se apaixonaram, se conheceram, discutiram a relação, chegaram a conclusão que não vão dar certo, se reconciliaram e continuaram juntos. Vai ser demais ver esse cara em um relacionamento de verdade, ainda mais com uma mulher que não dá moleza.

E o que falar de Wilson entalado na janela. Estou doido para ver uma cena dos três juntos. House, seu melhor amigo e sua namorada. Infelizmente, Wilson ficou como um "vilãozinho" do episódio, falando sobre o acidente e tal. Desistimulando completamente o amigo. Mas como no fundo as intenções eram boas, está tudo certo.

Agora falando sobre o resto dos personagens, é realmente uma pena não ter Thirteen nessa temporada. Os quatro (com Chase, Foreman e Taub), pareciam tão mais a vontade juntos, mas independentes do que na temporada passada. O que ficou meio esquisito, mas me deixou curioso, foi a propósta indecente de Chase e Thirteen. Como seria uma relação entre eles. Seria uma ótima história, porque além de vermos Chase em mais uma tentativa de relacionamento com alguém da equipe, ainda teríamos um abalo na amizade com Foreman que ainda gosta dela.

Now What foi um episódio excelente. Gosto muito mais de House quando os episódio se focam nas histórias dos personagem e não nas doenças esquisitas dos pacientes. Eu sei que série se tornou o que é por causa disso, mais acho que depois de seis anos, uma mudada poderia fazer bem para a série. Alguns dizem que ela já perdeu um pouco de sua "magia". A quinta temporada não foi como esperavam, a sexta foi uma espécie de recomeço e espero que estejam apostando em uma renovação em alguns aspectos que merecem ser revistos.

Porque parece estar sugindo uma nova "regra" (se é que podemos chamar assim) que é mudar alguns pontos de séries já antigas. Hoje lendo sobre a quinta temporada de Dexter ficou claro que depois dos acontecimentos da quarta temporada, haverá uma nova história surgindo daí. Em Supernatural também. Não sei se isso se aplica a House mais sou adepto de mudanças, ainda mais quando o trivial já não está tão bom assim.

Mais como eu já disse, eu posso falar mal de House, posso dizer que o episódio foi chato (o que não é o caso) e que os atores não estão rendendo, mais no final de cada post, de cada crítica, vai surgir um belo comentário dizendo que a série é ótima seguido de vários outros elogios. O famoso "morde e assopra". Não me entendam mal, só quero ficar bem com minha série preferida! (Como é bom dizer isso outra vez!)

Até!

26.9.10

UnderCovers: Nada como uma boa "sexpionagem"

Finalmente uma série estreiante que eu faço gosto de escrever. Bem, teve Nikita... Talvez pela coicidência dos temas?

Desde o início, quando UnderCovers surgiu nas listas das séries que viriam em 2010 eu fiquei curioso como seria. E mais que curioso eu fiquei na expectativa de como isso aconteceria. Um casal de espiões, que nada sabiam um do outro até o momento e que agora vão trabalhar juntos em missões perigosas e inapropriadas. Houve quem comparasse a Sr. e Sra. Smith. Bem, se o filme tivesse a metade do humor que a série apresentou, ele concerteza seria melhor.

Steve e Samantha Bloom são um casal normal, que cuidam de um buffet e tem que lidar com as pequenas dissenções do casamento, como o valor do salário dos seus funcionários e um buffet à base de carne de porco para um casamento de um judeu ortodoxo. Tudo ia... bem!?, quando surge a proposta do antigo trabalho de ambos. CIA.

Um antigo amigo em comum havia desaparecido e ambos foram chamados de volta após cinco anos para encontrá-lo. Depois de relutarem um pouco, decidiram por voltar e encontra o amigo. A partir daí começa uma grande aventura ao redor do mundo trazendo um pouco da espionagem clássica de volta.

Corrida pelo mundo, tiroteio, perseguições, disfarce e por último e não menos importante, "sexpionagem". Esse são um dos elementes que tiveram no pilot e que irão percorrer ao longo de toda a história.

Não falar do aspecto humorístico da série é impossível. Sem ela seria só mais uma série de espiões como tantas outras que temos por aí. Recheado de pequenas discussões de relação e outras tiradas de humor que só um relação como o casamento pode trazer, UnderCover faz a mistura dos gêneros, juntando perfeitamente um cena de ação com toques de pequenas piadas.

Sabe, estou assistindo todos os pilotos da Fall Season e são poucos aqueles que me dão uma vontade real de escrever. Não que eu esteja detestando tudo, mais eu preciso ficar animado o suficiente para ter o que dizer e isso não aconteceu em todas as séries. Durante a MidSeason eu falei que era bem provavel que eu não me animasse tanto com a Fall deste ano depois de ver tanta coisa boa. Bem, essa frase não é 100% verdade e UnderCovers faz parte da porção que impede a veracidade da frase.

Acho que meu gosto está mudando... A alguns meses atrás eu não era nada fã do gênero policial e afins... É... Que coisa não!?

Até!

Fall Season 10: Dexter (Entrevista com Michael C. Hall)

DEXTER (SHOWTIME)
Quinta Temporada
Episódio My Bad


A série é baseada no livro Darkly Dreaming Dexter, de Jeff Lindsay, e conta a história de Dexter Morgan, um assassino em série que trabalha como analista forense especialista em padrões de dispersão de sangue, no departamento de polícia do Condado de Miami-Dade.
Valendo-se do fato de ser um expert forense em análise sanguínea e de trabalhar no Departamento de Polícia de Miami, Dexter, de um modo bem meticuloso e sem pistas, mata criminosos que a polícia não consegue trazer à Justiça. A série narra a trajetória de sua vida dupla por meio de flashbacks e, paulatinamente, vai desvelando diversos segredos dos personagens, criando um ambiente de constante suspense. 

Na 5ª temporada de Dexter, o nosso protagonista vai de marido feliz à um pai solteiro, depois da dramática reviravolta no final da temporada passada que tirou a vida de sua esposa, Rita (Julie Benz). Agora, o serial killer favorito da América vai lutar com sua vida secreta e suas novas responsabilidades.

Michael C. Hall falou sobre as mudanças na vida de Dexter nessa temporada também sobre como ser um pai solteiro afetará o personagem, a adição de alguns novos integrantes do elenco e do apoio que tem recebido desde que anunciou um cancêr, agora em remissão.

24.9.10

Fall Season 10: Blue Bloods (Entrevista com Will Estes)

BLUE BLOODS (CBS)
Primeira Temporada
Episódio Pilot




Blue Bloods é um drama criminal que segue as vidas da família Reagan e sua dedicação ao departamento de policia de Nova York. Apesar de ser uma família rígida você pode achar que os Reagans têm ideias muito diferentes de como fazer justiça, mas eles não vão parar por nada até ver a justiça ser servida, porque a sua profissão é mais do que um trabalho é um negócio de família.






Blue Bloods é um tipo diferente de série policial, segundo o produtor executivo, Leonard Goldberg. Segundo ele, seus programas de TV favoritos sempre foram policiais e dramas familiares. Então porque não combiná-los em um drama de uma família de policiais?. Daí Blue Bloods nasceu.
Blue Bloods é um drama sobre as várias gerações de uma mesma família dentro da polícia de Nova York. Frank Reagan (Tom Selleck) é o Chefe de Polícia de Nova York e o patriarca da família Regan que ele dirige com a mesma rigidez de seus soldados, do mesmo modo que foi tratado por seu pai, Henry (Len Cariou) durante o seu período como Chefe.

Uma fonte de orgulho para Frank é o filho mais velho, Danny (Donnie Whalberg), um detetive experiente, homem de família e veterano da Guerra do Iraque, que de vez enquanto usas as técnicas militares para resolver casos duvidosos. A única mulher no clã Reagan é Erin (Bridget Moynahan), assistente da NYDP recém separada, que também serve como uma bússola jurídica para os irmãos e o pai.

Jamie (Will Estes) é o mais novo Reagan, recém saído de Harvard, onde cursou Direito, mais incapaz de quebrar a tradição família, o "menino de ouro" da família desistiu de um futuro brilhante na Advocacia e se tornou policial, uma mudança de carreira que foi apoiada por sua namorada, Sydney Davenport (Dylan Moore), uma estudante de direito. O vida de Jamie sofre uma reviravolta quando ele integra uma investigação policial clandestina, sem o conhecimento do pai, que poderá impactar o legado da família.
E o ator Will Estes falou sobre seu personagem e sobre a série. Acompanhe:

Fall Season 10: Supernatural (Entrevista com Jensen Ackles e Jared Padalecki)

SUPERNATURAL (CW)
Sexta Temporada
Episódio Exile on Main Street


Os irmãos Dean e Sam Winchester são órfãos de mãe. Ela teria morrido, de acordo com a história, por conta de uma força maligna. Desde então seu marido não se cansa de investigar o mistério por trás de sua morte. Enquanto Dean sempre ficou ao lado do pai e colaborou com as investigações sobrenaturais, Sam deixou a casa para entrar na faculdade de direito. O desaparecimento repentino do pai, porém, promove um reencontro entre os irmãos. A partir de então os dois irão se aventurar pelas estradas e darão de cara com uma série de criaturas de um universo paralelo.




Retornando para sua 6ª temporada, uma das séries mais conhecidas e adoradas pelos fãs, Supernatural, seguiram Sam e Dean a partir do emocionante final da temporada passada. Os irmão estão separados. Dean se aposentou da caça, acreditando que Sam está preso no inferno. No entanto, Sam escapou e os dois voltam a ficar juntos para combater a crescente onde de criaturas e demônios mas não demoram muito para perceber que não são quem costumavam ser e o relacionamente mudou. Nada é o que parece.
Durante uma entrevista para promover o retorno da série, Jensen Ackles e Jared Padalecki falram sobre como o show vem este ano, a forma dos seus personagens e mais algumas coisas. Confira.

SERÁ QUE ESTA TEMPORADA TERÁ ALGUMA SENSAÇÃO SEMELHANTE À DA PRIMEIRA?
 
JARED: Sim, até o momento. Nunca sabemos o que vai sair da cabeça dos roteiristas, mas geralmente é brilhante e surpreedente e agora estamos muito próximos do que a primeira temporada foi. Nesta temporada eu sou mais parecido com o Sam original e o Dean é mais parecido como o Dean original. Estaremos lutando contra grandes vilões. Na primeira temporada lutaríamos com um metamorfo, agora vamos descobrir de onde eles vem e lutar contra o Alpha. Isso é interessante. Não podemos voltar e recontar as mesmas histórias, mas nós podemos contar novas histórias e voltar ao show que Jensen e eu assinamos e estavamos animados para fazer. Não vamos esquecer tudo que aconteceu nos últimos cinco anos, mas que agora será uma parte da história, e não toda a história. Honestemente, onde se pode ir depois de ficar trancado numa gaiola no inferno?

E VOCÊ JENSEN? O QUE ACHA SOBRE O RITMO DESSA TEMPORADA?
 
JENSEN: Eu gosto. Na última temporada houve alguma finalidade definitiva de uma história contada à cinco anos. A primeira temporada ainda é a minha preferida por causa da fórmula. Eu gosto de um monstro por semana. Gosta da simplicidade dessa história. Assim, o fato de estarmos pressionando o "reset" em todo o show é um alívio para mim. Nós tivemos cinco anos com esses caras e agora estamos de volta à estaca zero, fazendo-o na sua fórmula mais simples, mas com uma fórmula melhor.

O QUE SAM É AGORA?
 
JARED: Não sei! Sam é Sam. Um tipo diferente de Sam, veremos vislumbres de sua consciência, senso de culpa, vergonha e responsabilidade. O seu lado emocional que foi proibido de ter. Ele é muito raciocínio e tática, mas não é insensível. Considerando o Sam das temporadas passadas era como, "Vamos tentar fazer a coisa certa, onde ninguém se machuca e não há nenhuma dano colateral", Sam agora está ssim: "Você sabe o porquê? Nós não podemos resolver tudo. Vamos apenas tentar corrigir o maior problema e descobrir as consequências mais tarde"

O QUE ACONTECEU NA ÚLTIMA TEMPORADA VAI AFETÁ-LO NESTA?
 
JARED: Sam está numa situação difícil porque não é que Sam tenha más intenções, mas no início do apocalipse e sendo possuído ele aprendeu que o caminho para o inferno está pavimentado de boas inteções, como diz o ditado. Agora ele está como "Que idiota espera resultados diferentes das mesmas ações? Essa é a definição de insanidade. Vou começar a fazer algo diferente e talver resolver os problemas dessa maneira."

JENSEN, COMO FOI DIRIGIR UM EPISÓDIO DESTA TEMPORADA? ESTAVA NERVOSO?
 
JENSEN: Não. Diria que se eu fosse fazer isso todos os dias nos últimos cinco anos eu teria ficado nervoso. Eu estaria cercado por um bando de caras desconhecidas então eu seria: "Oh mee Deus, espero não estragar tudo". Mas o elenco é como uma família para mim. Os produtores, escritores e todos envolvidos me deram total apoio e assim confiançã para fazer isso.  Se vai funcionar ou não, não tenho idéia, mais pelo menos estava confiante.

FOI ESTRANHO SE AUTO DIRIGIR?
 
JENSEN: Como ator eu olho para as cenas de uma maneira muito diferente do que os diretores olham e isso realmente aconteceu? Por exemplo, houve uma cena em que Dean recebe uma ligação de Bobby e havia níveis definidos de emoção lá, falando sobre Sam e as coisas que aconteceram. Foi bem dramático. Como ator eu estava lendo um monte de páginas com muita coisa acontecendo da cena. Como diretor eu pensava "posso filmar isso em uma tomada". Então, quando eu estava fezendo, ainda tinha o quadro de ator em mim. "A cena é maior do que uma tomada". Mas como diretor eu sabia que era possível. Eu estava dirigindo a mim mesmo e foi fácil, porque eu não tinha que convencer um ator a fazer alguma coisa.

SUPERNATURAL, HOJE, NA CW.

(Still) Cougar Town: Só pra comentar!


Cougar Town não mudou. Engraçado! Apesar de ter mudado bastante desde sua estreia no ano passado, quase ser cancelada, dar a volta por cima, quase mudar de nome, continuar com o mesmo nome a série continua do mesmo modo que era. Sem grandes histórias, sem grandes acontecimentos, simplesmente cenas com algo incomum e nada mais.

Mas, quem disse que ela precisa ser mais do que é para ser boa?
Só estou escrevendo para falar sobre Jennifer Aniston. O engraçado, e não se se só acontece comigo, é que tanto com ela, quanto com Lisa Kudrow, eu tinha esperança de ver velhos hábitos de Friends. Tá legal, eu sei que já acabou, que elas participaram com personagens diferentes, mais convenhamos que é difícil vê-las juntas sem se lembrar dos momentos Friends. Talvez por isso serja difícil achar o que quer que façam juntas mais engraçado do que já fizeram.

Como a personagem de Lisa, Jeniffer também fez uma médica. Desta vez psícóloga, mais, ainda que muito bom, faltou algo. Será que estou sendo radical demais? Sinceramente eu não sei. Detesto quando eu sou crítico demais em coisas que nem valhem uma opinião tão séria. Mas ainda sim foi bom. Cougar Town tem o seu humor, apesar de ainda achar que a série poderia render mais se, mesmo com a forte comédia, ela flertasse um pouco mais com o drama, principalmente nas relações entre Jules, Graysson e Bobby. 

Entretanto, se for perder a caracteristica que mantêm a série, prefiro que continue como está!

Até!

Lone Star: Boa, mas abaixo das expectativas


Ouvi dizer que quando você diz que algo é "muito legal" é porque na verdade você não tem o que dizer. De qualquer maneira, eu não iria usar essa expressão, porque não foi muito legal eu nem ao menos legal.

Eu estava tão esperançoso com esta série, achando que ia ser uma maravilhosa e a com esse início não foi. O problema, ou a bom é que a história é bom. Muito boa na verdade. Só achei que o episódio não foi tão bom assim.

Robert é um golpista que vive dividido entre dois amores, duas cidades e a vontade do pai do pai e a sua própria. Pelo que pude ver, acho que a série também não agradou muito a crítica e ela foi a primeira série da Fall Season à entrar na zona de cancelamento (começou cedo este ano hein), mais pelo também pude notar, já existe um movimento para manter a série no ar, já que o público se agradou da história e tal.

Mas é complicado quando a série começa mal e ainda que seja "salva", começará a fazer de tudo para que aumente a audiência e talvez chegue a ter que correr com a história, ou acrescentar fatos que não estavam previstos para que haja um "up".`

Ultimamente eu tenho estado muito ocupado com algumas coisas, inclusive com o FS e com o tempo para assistir as séries. Estou adiantado nos downloads mais não em assistir. E por isso sinto que as revisões dos episódios, assim como as impressões gerais da série, perdem um pouco do seu conteúdo, devido a pressa com que eu tenho que escrevê-las e posta-las para poder assistir mais uma. Contudo, acredito que quando outubro chegar, ficará mais tranquilo para comentar mais a fundo sobre as séries, já a tensão e ansiedade da Fall Season já terá passado.

Enfim, vejo um potencial em Lone Star que não apareceu no piloto. Expectativa gera frustação e isso é verdade absoluta. Das séries que assisti até agora, todas aqueles que eu não esperava nada, ou não tinha expectativa acerca do que viria, me impressionou mais do que aqueles que eu tinha uma vontade maior de assistir.

Nos resta esperar e ver se ela vai decolar ou será a primeira série a inaugurar a "Fail Season 2010". Espero que não!

Até!

23.9.10

Fall Season 10: My Generation, S*#! My Dad Says e Outsourced

MY GENERATION (ABC)
Primeira Temporada
Episódio Pilot



Quais mudanças 10 anos podem trazem? Em 2000, uma equipe de um documentário acompanhou um grupo de adolescentes no ensino médio de Greebelt High School, em Austin, Texas enquanto se preparavam para a formatura. Agora chegou o momento de revisitar esses ex-colegas, 10 anos depois, para descobrir se eles estão onde queriam e o que fazem da vida. Desse reencontro ele começam a rever suas escolhas e a ter esperança no futuro, e descobrem que mesmo se você não fizer exatamente o que pensou ou queria da vida, não é tarde para conseguir o que você precisa.





S*#! My Dad Says (CBS)
Primeira Temporada
Episódio Pilot


Baseado numa conta de Twitter criada por Justin Hapern, o vencedor do Emmy, William Shatner como Ed Goodson será uma sincero e teimoso pai que adora expressar suas observações quando não é solicitado e muitas vezes politicamente incorreto. Ninguém fica imune as dicas do Ed, muito menos seus filhos, Henry, um blogueiros lutando para ser escritor e Vince (Will Sasso), agente imobiliario casado com a dominadora Kathlenn (NIcole Sullivan). Quando Henry descobre que não pode mais pagar o aluguel, é convidado por Ed para morar com ele, sabendo que a agressão verbal não iria diminuir e não haveria nenhum escape. Um relacionamento entre pai e filho é dificil, mas Ed facilmente virá com algumas palavras bem escolhidas.


OUTSOURCED (NBC)
Primeira Temporad
Episódio Pilot


Após competlar o programa de treinamento para gerente da Mid America, Todd Dempsey (Ben Rappaport) descobre que o call center será terceirizado e passa a ser sediado na Índia e ele é convidado para ser o gerente lá. Nunca tendo se aventurada fora do país, ele não está preparado para o choque cultural. Triste, Todd descobre que sua equipe precisa de um curso sobre todas as coisas americanas se quiserem entender a linha de produtos e o ramo das vendas. Ele herda a equipe que inclui Gupta (Parvesh Cheena), um funcionário socialmente desajeitado; Manmett (Sacha Dhawan) um jovem romântico e encantado pela América; Asha (Rebecca Hazlewood), uma mulher inteligente que se vê interessada por Todd; Rajiv (Rizwan Manji), o gerente assistente que quer o trabalho de Todd e Madhuri (Anisha Nagarajan), um jovem que sofre com sua extrema vergonha. Todd também descobre que há outros trabalhando no seu prédio, incluindo um expatriado norte-americano, Charlie Davies (Diedrich Bader), que dirige o call center do All-American Hunter e Tony (Pippa Black), uma bonita australiana que tranbalha no call center da Koala Air.

22.9.10

Bem vindos Mike & Molly!

E adoraria entrar numa boate sem ter todos os gays me olhando como se fosse um balão da Parada do Orgulho Gay."   Molly


Não, se apaixonou por uma prostituta, se divorciou da minha mãe e foi morar em Tampa. Acabou com nossa família... Eu devia ter parado no "profissão nobre".   Mike

Eu tinha certeza que ia gosta de Mike & Molly pelo simples fato de gostar desse tipo de série de comédia, com aquelas piadas previsíveis e histórias no mínimo bobinhas. Eu adoro absolutamente e Mike & Molly tem exatamente tudo isso.

Outro fato é que sou pessoalmente ligado a história. Bem não do lado dos protagonista gordinhos, mais sim do lado dos amigos magros que fazem piadas e brincadeiras com os amigos gordinhos. Como por exemplo: "Eu daria um tiro em você, mas não tenho giz suficiente para fazer um alvo". É um tipo de coisa que eu diria para um amigo acima do peso (apesar de ter a tendência de ser bem pior que isso). Resumindo, essa relação torna a série muito difertida.

Eu poderia listar as várias piadas da série que ri de verdade. Um logo no começo que eu caí na gargalhada foi "Posso sugerirar que se mude pro meu país, onde todos são magrinhos por causa da fome". Maldade... mais eu ri muito com isso.

As cenas nos Obesos Anônimos também tem tiradas muito engraçadas. Sei que pareço exagerado e tem momentos que eu rio de coisas que as outras pessoas acham sem graça. Muitos talvez tenham achado a série sem graça, porque preferem um história mais interessante, ou uma comédia mais rebuscada. Mas como sempre digo, às vezes, como numa quarta-feira de tédio, prefiro uma comédia por mais pastelão que seja (não que seja o caso) do que um episódio complicado de uma série que exige uma atenção maior.

Uma coisa que não posso deixar de comentar é como as comédias da CBS são todas iguais na questão do formato e até mesmo de roteiro. É quase autoidentificável. O problema é que as séries de comédia atualmente lançadas pela rede nunca passam da primeira temporada. É chato pensar nisso quando se assisti a um piloto, mas é uma realidade e nos previne de certas frustações.

Estarei acompanhando, mas sem me apegar demais, porque depois sempre me estresso quando cancelam.

Até!

OBS:. Vamos combinar em não usar "Uma comédia de peso" quando fomos falar da série?

Fall Season 10; Modern Family, The Middle e Cougar Town

MODERN FAMILY (ABC)
Segunda Temporada
Episódio The Old Wagon


Eu só comecei a ver Modern Family depois que ela ganhou o Emmy. Na verdade eu comecei a assistir Modern Family após assistir o Emmy naquela mesma noite. Até então eu não havia parado para assistir a série, mais achava que todos os comentários acerca da perfeição da série fosse exagerado, mais não demorou muito para mudar minha opinião e no final do primeiro episódio eu já estava morrendo de amores pela história, pelos personagens e por tudo mais que Modern Family oferece. Algumas semanas assistindo a primeira temporada e hoje, eu já estou apto e fã o suficiente para acompanhar a segunda temporada que começa hoje.

Na abertura da temporada, intitulado "The Old Wagon", vamos nos juntar aos Dunphy e a tentativa de Claire em convencer Phil de se livrar de sua velha caminhonete, sendo que Phil nutri o sonho de levar a família para viagem nela. Já Cam e Mitchell vão construir um castelo para Lily e Cam chama Jay para assistência imediata. Nem precisa falar que será muito divertidos esses três envolvidos num projeto de carpitaria. E sem esquecer do furacão latino, Gloria, esta noite, ela e Manny estaram juntos em mais uma confusão causada pelas tentavas do menino em conseguir um grande amor.


THE MIDDLE (ABC)
Segunda Temporada
Episódio Back to School


Outra série que eu comecei a assistir também esse ano, mais no começo dele, foi The Middle. Igualmente divertida como Modern Family, mas retratando um família mais tradicional em todos os sentidos. Filhos adolescentes rebeldes e pais completamente perdidos quanto a educação e sobre o que esperar dos filhos.

A segunda temporada começa com o episódio "Back to School, que mostra a desastrosa tentativa de Frankie em fazer que seus filhos cheguem a tempo para o primeiro dia de aula. Mas as coisas começam a dar errado  quando Frankie e Mike tentam explicar as peculiaridades de Brik para o sua nova professora, Ms. Rinsky (Doris Roberts). Enquanto isso, Sue está e super animada em voltar para escola, já Axl está lutando contra o despertador.


COUGAR TOWN (ABC)
Segunda Temporada
Episódio All Mix Up


E por último e não mesmo importante, Cougar Town, na tão falada noite da "Friends Reunion" com a presença de Jennifer Aniston. Essa eu acompanha desde o início, enquanto ela caminhava aos trancos e barrancos e sobrevivemos aos risco de cancelamento e a possível mudança de nome e aqui estamos nós. No final a série foi considerada uma das melhores comédias do ano passado.

Em "All Mixed Up", Jules encontra uma conexão imediata com sua nova psicóloga, Glenn (Anniston), até que ela descobre a infeliz mas hilariante verdade sobre seus métodos de tratamento.

A segunda temporada vai lidar com a partida de Travis para faculdade, que fica a 20 minutos de casa. Também será sobre o namoro de Jules e Grayson, depois de se tornaram oficialmente um casal.

É hoje, a noite da comédia familiar na ABC.

Fall Season 10: Better With You, The Whole Truth e The Defenders

BETTER WITH YOU (ABC)
Primeira Temporada
Episódio Pilot

Maddie (Jennifer Finnigan) e Ben (Josh Cooke) namoram há nove anos. Conhecem tudo um do outro e tem uma relação marcada pela alegria e carinho, vendo seu compromisso como um "escolha de vida válida", algo que declaram muitas vez, e na maioria delas e voz alta.

A irmão mais nova de Maddie, Mia (Joanna Garcia) namorou Casey (Jake Lacy) por sete semanas e decidem que vão se casar e ter um bebê, mas logo começam a descobrir coisas que não sabiam sobre o outro e isso começa a gerar desentendimentos.

Surpreedentemente os pais das meninas, Vicky (Debre Jo Rupp) e Joel (Kurt Fuller) não poderiam estar mais satisfeitos. Casados a 35 anos, recentemente aprovou a filosofia carpe diem de Mia.
Com três relações muito diferentes, fortemente entrelaçados no meio familiar, será que cada casal vai começar a repensar seus meios de viver?


THE WHOLE TRUTH (ABC)
Primeira Temporad
Episódio Pilot

Este drama narra a forma de um processo legal construído a partir da perspectiva da defesa e da acusação. Mostrando cada lado e também o júri, assim como os telespectadores, deslocando lealdades, opiniões sobre culpabilidade ou inocência até a cena final. Kathryn Peale (Joely Richardson), é vice-chefe de um escritório de advocacia em Nova Your. Kimmy Brogan (Rob Morrow) é amigo de Kathryn desde os dias na Yale Law Scholl e é um das estrelas criminais de Nova York. Fortalecido poras suas respectivas equipes, cada um com um forte traço de competitividade, uma crença fervorosa em seus clientes e uma paixão intensa pela lei, vão criando duas histórias diferentes para o mesmo conjunto de fatos. Como esse close por trás dos bastidores de um processo legal, torna-se evidente que a verdade não tem nada a ver com inocência ou culpa, porque no final de cada julgamento, o que importa é em quem o júri acredita.

Como comentário pessoal, achei a idéia interessante, mais ver se a composição geral da série será tão interessante quando a premissa.


THE DEFENDERS (CBS)
Primeira Temporada
Episódio Pilot

Jim Belushi e Jerry O'Connel serão as estrelas deste drama cômico que abordará as relações entre clientes e advogados na colorida Las Vegas. Liderando o escritório "Morelli & Kaczmarek", que tem em sua listas os mais ecléticos tipos,  está Nick Morelli (Belushi), um fervoroso advogado que representa seu clientes com o melhor de sua capacidade, não importando o tamanho do caso, e seu parceiro Pete Kaczmarek (O'Connel), cuja única paixão são por carros velozes, mulheres bonitas e roupas caras.

Junto com eles, na prática da lei está a nova associada Lisa Tyles (Jurnee Smollett), uma jovem advogada, entusiasmada com a carreira e sua assistente, Sophie (Tanya Fischer), corajosa e ingênua que está ansiosa para agradar os novos chefes.

Com a sorte brilhando em suas carreiras, os sócios não compartilham da mesma em suas vidas pessoais. Enquanto Pete está ocupado com sua última conquista romântica, Nick está focado em resolver os problemas com sua ex-mulher, Jessica (Gillian Vigman). Não importa o crime, Nick e Pete estão tem o objetivo de provar que quando as apostas são altas, eles estão dispostoso em apoiar a causa dos clientes que defenda na Cidade do Pecado.

Fall Season 10: UnderCovers (Entrevista com o protagonista, Boris Kodjoe)

UNDERCOVERS (NBC)
Primeira Temporada
Episódio Pilot
  


Para reacender as chamas em seu casamento, alguns casais tiram férias. Não é o caso de Steven e Samantha. Eles voltam à CIA. Agora eles estão descobrindo coisas sobre eles que nunca souberam. Como qual técnica cada um prefere e, quem matou quem, e quão bem eles trabalham juntos em um ambiente hostil.







Acho que posso dizer que está a segunda aposta da NBC para esse ano e possivelmente o estepe de "The Event" caso o pior venha a acontecer. Escrita, produzida e dirigida por JJ Abrams, UnderCovers é a nova série de espionagem da televisão. Steven e Samantha Bloom aos olhos dos amigos e da família são um típical casal com uma boa vida em Los Angeles. Entretanto, ambos são dois dos melhores espiões da CIA, que resolvem voltar a ativa depois de cinco anos de aposentadoria para localizar um companheiro que desapareceu.

Boris Kodjoe, que fará o papel de Steve falou sobre a série com o site Collider, assim como sonho que é fazer esse papel, o quanto ele gosta de fazer cenas de ação e a honra de estrelar uma série da Fall TV. 

The Event: Mistérios, Segredos e Muitos "Days Earlier"

Tá legal... eu nunca vi tantos flashbacks em um episódio desde... na verdade eu nunca vi tantos flashbacks em um único episódio. É o que foi aquele "portal" aberto no ar que sugou o avião? Segue as considerações sobre The Event.
 
Antes de mais nada eu preciso falar que eu tenho uma certa raiva de NBC, porque tudo que eu assisto da emissora é cancelado. Kings, Mercy, Persons Unknown são só os exemplos mais recentes. Enfim, e por falar em Persons Unknown, não sei se aguento mais mistérios e histórias sem pé nem cabeça.
 
Ok, agora alguém me explica o porque de contar a história em tantos flashbacks? Ele simplesmente ignoraram algo chamado linha do tempo e foi meio que "se virem, entedam!". Deixo registrado que eu entendi todo o episódio, apesar dos "sete dias antes", "30 dias antes", "23 minutos antes". Mesmo com minha "baixa capacidade de entender histórias do tipo", dentro daquilo que foi mostrado, foi fácil de encaixar. Não que eu me anime muito com isso, porque sei que vai ficar confuso e é possível que eu não venha a entender.
 
Falando da questão atemporal da série, acho muito interessante isso em livros e até mesmo gosto de escrever usando o estilo. Lugares diferentes, pessoas diferentes e várias versões do mesmo acontecimento. Pode até ter sido muito bom para a premiere, foi bem dinâmica e evitou o cansaço, mais não sei até quando poderá continuar com esse método.
 
Enfim, passando por uma prisão no Alasca, um avião sequestrado, morte, sequestro e muitas cenas de ação, o episódio chega ao fim com um avião cheio de passageiros desaparecendo no ar ao ser atingido por uma luz azul e a mulher dizendo: "Eles nos salvaram!" Aliens por acaso? Estou pensando que sim e não estou gostando de pensar que sim. Flash Forward Fellings...
 
Entendo a animação de todos, realmente foi um bom episódio, mas, todas as séries são ótimas nas premieres. Flash Forward também surgiu como promessa, o episódio de estreia foi ótimo e deu no que deu. O "epic fail" mais recente da TV. Devo confessar que estava torcendo para que The Event fosse um fracasso, mas foi durante um momento de raiva da NBC.
 
Se me perguntarem, "Gostou do episódio?", posso dizer que sim. Jà se me perguntarem se eu vou continuar assistindo, bem há considerações a fazer. Se eu continuar a entender a história, beleza, se não, nada de queimar meus miolos por uma explicação. Tentei fazer isso com Lost e morri na praia (sem trocadilhos OK). Se não houver um grande número de gostar mais que essa, também verei, mais de maneira alguma trocarei algo que me diverte mais por The Event.
 
É o que eu tenho para dizer no momento. Seria perda de tempo descrever o que foi o episódio, porque nem se eu quisesse eu seria fiel ao que aconteceu e talvez até frustasse as pessoas. Por enquanto é isso. Confusa, intrigante, misteriosa, doida de pedra... The Event, o grande acontecimento do ano ou o grande fracasso do ano. Nesse caso, não somos nós que decidimos!
 
Até!

21.9.10

Fall Season 10: Raising Hope, Running Wilde e Detroit 1-8-7

RAISING HOPE (FOX)
Primeira Temporada
Episódio Pilot

Aos 23 anos, Jimmy Chance (Lucas Neff) que não está indo para lugar nenhuma na vida. Fica na piscina de dia e em festas à noite e ainda vive com sua família. Até que Jimmy se vê diante de uma situação que vai mudar por completo sua vida. Ele descobre que a garota que saía chamada Lucy (participação especial de Bijou Philips) é uma criminosa e meses depois, quando vai visitá-la no presídio, descobre que ela está grávida e ele como pai, deverá tomar conta da criança. Apesar da notícia cair como uma bomba na família, Jimmy está decidido em cuidar de seu bebê e com pouco habilidades úteis, mas com o coração no lugar certo, ele e sua família vão enfrentar esse imprevisível desafio.
 



RUNNING WILDE (FOX)
Primeira  Temporada
Episódio Pilot

 
Steve Wild nunca havia realizado um ato altruísta. Mas porque deveria? Ele é rico! Filho de um magnata do petróleo, Steve não teve que trabalhar um dia na sua vida e sempre consegiu o que queria, como uma exceção, o amor de Emmy. A filha de um ex-empregado de Wilde, Emmy passa sua vida tentando salvar o planeta. Apesar de querer viver como uma tribo indigena todo o tempo, sua filha de 12 anos, Puddle deseja ser uma criança normal e experimentar sua adolescencia e um lugar normal.
 
Quando as industrias Wilde Oil ameaça invadir a floresta, Emmy decide tentar trazer Steve para o seu lado, na esperança de convencê-lo a impedir as estratégias da empresa. Mas Steve não está muito disposto a ajudar, porque ir contra a Wilde Oil é ir contra seu pai e correr o risco de perder sua vida perfeita. Então ele se vê entre a oportunidade de ajudá-la a mulher por quem sempre foi apaixonado e por consequência, conseguir ficar com ela e a possibilidade de perder todas as suas regalias. A questão é, será que esse casal será capaz de conciliar suas diferenças?



DETROIT 1-8-7 (ABC)
Primeira Temporada
Episódio Pilot


O que é preciso para ser um detetive nas ruas mais perigosas dos Eua? Prepare-se para a ação junto com os melhores detetives de Detroit, que vão oferecer uma visão por trás das cortinas de um Unidade de Homicídios. As câmeras registraram momentos de crise e heroísmo destes policiais, em seus momentos nas ruas assim como em casos particulares. Louies Fitch é uma veterano na Homicídios e é o mais respeitado e incompreendido na divisão. Damon Washington é o novo parceiro de Fitch, que se encontra em uma prova de fogo em seu primeiro dia. Ariana Sanchez é a detetive em ascenção do departamento. John Stone  é um policial da Narcóticos disfarçado para missões da divisão. É o parceiro de Sanchez, que juntos serão responsaveis por conflitos e tensões sexuais. Jesse Longford é um veterano que luta contra sua aposentadoria emitente, junto com seu parceiro, Aman Mahajan, filho de imigrantes indianos, que formam uma divertida dupla na velha escolha no mundo novo. Todos são liderados pelo tenente Maureen Martins, uma mãe obstinada lutando para consiliar a casa e o trabalho.

20.9.10

Fall Season 10: House (Considerações sobre a Sétima Temporada)

HOUSE
Sétima Temporada
Episódio Now What?


House é um médico conceituado do estado de New Jersey, nos Estados Unidos. Além de conseguir elaborar excelentes diagnósticos, as suas especialidades médicas são a infectologia e a nefrologia. O seu carácter é marcado pelo seu mau-humor, comportamento anti-social, cepticismo e sarcasmo. O local da acção é Princeton-Plainsboro, um moderno hospital universitário público norte-americano.
Somente pacientes em estado crítico são examinados por Dr. House e sua equipe, sempre disposto a descobrir as causas dos males para salvar vidas, seja através das vias legais ou fazendo uso de métodos pouco tradicionais. 




Quanto tempo eu não falo de House! Com tudo isso de final da temporada e séries novas para ver ela ficou um pouco de lado. Mas gosto de falar sobre House, e é meio que visceral, porque comecei falando sobre House e foi uma das primeiras grandes séries que eu comecei a assitir regular e religiosamente. Muita coisa aconteceu desde a última notícia sobre House aqui. Enfim, a estréia da sua 7º Temporada acontence em 20 de Setembro e por isso, aí vai um resumo do vamos ver este ano.

A temporada terá como foco principal (e finalmente) o relacionamento em House e Cuddy. Mas isso não significa que tudo será um mar de rodas e os produtores da série avisão que House ainda terá o House, então o negócio vai ser complicado. Vão viver felizes até começarem as pequenas discussões de casais, que em se tratanto de quem é, se tornar algo enorme e difícil.

David Shore disse à TV Guide, "Nós tinhamos desenvolvido a dança pelo tempo suficiente e nos divertimos com ela e com a tensão sexual, mas chegou a hora de seguir em frente e explorar a relação real. Então vamos nos divertir com isso agora."

E confirmando a questão anterior sobre o Huddy "não será doce. House não vai se tornar subitamente feliz e domesticado.  Ele ainda será o personagem que as pessoas amam e Cuddy ainda será Cuddy. Eles estão tentando fazer seu trabalho como eles são."

Lisa Edelstein também se manifestou sobre sua personagem. "Ela é muito corajosa, mas eu realmente confio na maneira do David que o David conduziu o barco até o momento. Eu acho que eles realmente se amam, só não são capazes de se manter juntos."

Assim, cenas quentes à parte, a realidade cotidianas logo aparece quando Cuddy pede ao novo namorado para cuidar de sua filha de três anos, Rachel. House não consegue ser gentil e tomar conta de adultos, que dirá de um bebê.

"House percebe que ele está namorando uma mulher que vem com um bebê junto. Ela confia nele porque sabe que ele é um médico brilhante e não um cara mau, então ele não vai matar o bebê", disse Lisa. "Mas House tem uma dificuldade de conexão com uma bebê. Ele acha que são alienígenas."


Fall Season 10: Hawaii Five-0 (Entrevista com Alex O'Laughlin)

S1-PosterHAWAII FIVE-0
Primeira Temporada
Episódio Pilot




Um remake do seriado popular de 1970 que trará de volta o Steve McGarrett como o chefe de Polícia do Estado do Havaí. Juntamente com a sua mão direita, Danny Williams, eles irão tratar dos mais difíceis casos criminais e investigar o crime organizado da ilha.




Steve McGarret, um policial, decide voltar a Oahu (Havaí) para investigar o assassinato de seu pai e decide ficar depois se ter sua cabeça persuadida pelo governador do Havaí e agora ele está com uma nova equipe para livrar a ilha de seus piores criminosos.


Alex O'Laughlin chamou a atenção do público como Mick St. John da vampírica Moonlight e depois com um médico cirurgião no drama médico Three Rivers e desta vez, o ator australiano dá vida a McGarret na nova versão de Havaii Five-0, que estreia hoje na CBS e nada melhor do que ele mesmo para dizer o que podemos esperar da série.

H5S1-12-620x414

Fall Season 10: Lone Star (Entrevista com o protagonista, James Wolk)

LONE STAR (FOX)
Primeira Temporada
Episódio Pilot (20|09|10)





Dividido entre dois amores, Robert Allen terá que desdobrar para conseguir viver duas vidas com suas duas mulheres, uma na cidade grande, filha de um magnata do petróleo e outra numa cidade do interior do Texas. Tudo vai bem até que fica complicado demais levar essa vida dupla, mais ele tem segredos que precisam ser guardados.




A nova série da FOX, Lone Star traz como protagonista Robert Allen (James Wolk), um artista carismático e brilhante que tem meticulosamente construída duas vidas em duas partes diferentes do Texas. Como Bob, vive em Houston e é o marido dedicado dde Cat (Adrianne Palicki), a bela filha de por personagem de Jon Voight, que é uma rico empresário do petróleo. 

Na cidade suburbana de Midland, conhecido com Robert, ele vive sua segunda vida com sua namorada, a doce e ingênua Lindsey (Eloise Munford). Durante anos ele tem vivido com sucesso suas vidas, mas agora era teme que seus segrefos podem ser desvendados.
James Wolk em entrevista ao site Collider, falou sobre assumir um papel tão complexo, como é estar dividido entre dois amores e as suas semelhanças com o personagem.

Fall Season 10: The Event, Mike & Molly, Chase e +

Hoje é um segunda-feira cheia de estréias. É o primeiro dia da Fall Season que traz uma grande quantidade de novas temporadas de shows "clássicos" e vários outros novos. Já falei mais à fundo sobre as séries que eu estou mais empolgado e neste post segue um pequeno resumo das outras estréias de hoje.


the_event_nbcTHE EVENT (NBC) 
Primeira Temporada
Episódio "Pilot"



The Event é um thriller de conspiração que segue a história de Sean Walker (Jason Ritter), um homem comum que investiga o misterioso desaparecimento de um noiva, Leila (Sarah Roemer) e inconscientemente começa a expor um grande caso da história dos E.U.A. Sean começa a encontrar respostas através de um grupo bastante incomum, que inclui o recém eleito presidente dos EUA, Elias Martinez (Blair Underwood), a misteriosa líder de um grupo de detidos, Sophia Maguire (Laura Innes) e o misterioso pai de Leila (Scott Patterson). Seus futuros estão na rota de colisão com uma conspiração global que poderá, em última instância, mudar o destino da humanidade.

Lembrando que The Event é uma das maiores promessas da temporada e espera-se que ela seja a nova queridinha do público que curte o estilo "suspense/ação". Como opinião pessoal: Humm...


imagesMIKE & MOLLY (CBS)
Primeira Temporada
Episódio "Pilot" 



De Chuck Lorre (Two and a Half Men e The Big Bang Theory), a série abordará a vida de um casal de Chicago que se apaixonam durante as reuniões dos Comedores Compulsivos Anônimos. Mike Biggs (Billy Gardell) é um policial de bom coração que precisa urgentemente perder peso. Seu parceiro, Carl McMillan (Reno Wilson) apesar das provocações por causa do peso do amigo, é o maior incentivador de Mike pelo caminho da magreza e do amor.


Em uma dessas reuniões, Mike encontra Molly Flynn (Melissa McCarthy), uma simpática professora da quarta série com um saudável senso de humor sobre suas curvas. Para Molly, concentrar-se nas escolhas certas não é fácil, porque ela vive com sua irmão mais velha e sexy, Victoria (Katy Mixon) e sua mãe, Joyce (Swoosie Kurtz), que ostentam sua boa forma. Mike também enfrenta a tentação no restaurante que ele e Carl freqüentam, onde são amigos do senegalês, Samuel (Nyambi Nyambi), que tem um conceito estranho sobre alimentação.

Mike & Molly é uma daquelas comédias da CBS que mesmo sendo otimistas é fácil imaginar que não vai durar muito, ao exemplo de Accidentally on Purpose. Mas como esse parece ser meu tipo preferido de série, é bem capaz de eu assistí-la e ficar com muita raiva se for cancela. Eu já conheço a história, mais sou a prova viva que experiência não trás sabedoria. Sem contar que eu acho muito interessante esse tema sobre alimentação e obesidade e pode ser muito divertida.


NUP_139371_0301CHASE (NBC) 
Primeira Temporada
Episódio "Pilot"



Kelli Giddish (Past Life) protagoniza a série no papel de Annie Frost, uma agente do FBI especializada em seguir rastros de criminosos fugitivos. Estrelando os membros da equipe de elite de Frost estão Cole Hauser, como Jimmy Godfrey, Amaury Nolasco (Prision Break), Rose Rollins (The L World) e Jesse Metcalfe (Desperate Housewives), como Luke Watson. A equipe é responsável pela captura dos criminosos mais perigosos do Texas, onde a série se passa.

Nada a declarar como comentário pessoal.



Covert Affairs: Resoluções Finais da Primeira Temporada

O que falar de Covert Affairs?
 
Depois da fantástica Season Finale de Rizolli & Isles é difícil dizer que qualquer outro final tenha sido bom. Covert Affairs não é mestre na arte de boas cenas de ação. Sejamos francos, apesar de certas cenas terem seu teor de emoção, a maioria delas são aparentemente forçadas e pouco espontâneas, mas as do episódio final foram um pouco piores que o padrão.
 
Houve muitos episódio muito bons durante toda a série, inclusive o penúltimo, que mais uma vez foi mais interessante do que o último em si. Senti, ao longo da temporada, que a série é muito boa na questão de lidar com as missões independentes em cada episódio, mais que deixou a desejar quando se tratou na história central, entre Annie e Ben, que apesar de permear toda a trama, geralmente eram coisas vagas e me pareceu meio estranho ele aparecer no nada para pedir ajuda da CIA em um missão. Talvez se a abordagem da história deles fosse um pouco mais intensa não tivesse passado essa impressão.
 
Antes que eu fale bem da série, preciso comentar sobre os efeitos que são utilizados nas cenas para "colocar os personagens em lugar onde eles não estão". Exemplo do 10º episódio, quando Annie conversa com Patricia na Inglaterra. Era perceptível a paisagem feita por computação gráfica. Seria mais válido apostar em lugares fechados do que utilizar espaços abertos mal-feitos.
Mas na questão geral a série teve seus destaques. Não poderia deixar de falar sobre Auggie, que é um dos meus, senão o, personagens preferidos. Também sobre Anne Dudek, que apesar de ter um personagem praticamente do elenco de apoio, aparece bem divertidinha quando tem oportunidade, como no 9º episódio, com o carinha iraniano.
 
Jai Wilcox, cujo interprete tem um nome impronunciavel e um daqueles que nem gosto, nem desgosto. Desnecessário. Joan começou chata e foi ficando bastante interessante. Nada verdade a maioria dos personagens, protagonista inclusive, melhoraram bastante, e ainda precisam se ajustar mais. A série não tem ainda uma caracteristica principal, entende. Não há nenhum elemento que a difere das outras séries com o mesmo estilo.
 
O "finale" não teve cara encerramento de temporada, deixou um baleado como gancho para próxima temporada, mas completamente sem emoção, porque como disse no começo, Ben Mercer não foi um personagem que apareceu o suficiente para que sua possível morte tenha alguma relevância. Lembrando que é minha opinião, mais aqueles que gostam dele devem ter achado horrível. Mais ansioso ficaria se Annie tivesse sido baleada... (Me lembre de Rizolli & Isles... perfeito...)
 
Enfim, mais uma série da Summer TV que chega ao fim e é um alívio porque é complicado conciliar essas com as da Fall e é muito episódio, muita coisa.
 
Enfim, não gostei muito do teor do post não, mais pelo adiantado da hora está ótimo! :)
 
Até!

19.9.10

Fall Season 10: Boardwalk Empire (Entrevista com Terence Winter e Martin Scorsese)

boardwalk-empire-poster_437x589BOARDWALK EMPIRE (HBO)
Primeira Temporada
Episódio Boardwalk Empire (19|09|09)


A série que se passa durante os conturbados anos 20, acompanharemos a trajetória de Enoch "Nucky" Thompson, o tesoureiro de Atlantic City e grande chefe do crime organizado. Parte político, parte gângster, Nucky se sente confortável nas duas posições e nada o impedirá de expandir o seu império - até que um de seus seguidores comete atos impensados para obter mais poder, o que pode colocar tudo a perder.



Em que resultaria a combinação do premiado escritor Terence Winter com o super cineasta Martin Scorsese. Bem, você poderá ver o fruto dessa união a partir de hoje, pois juntamente com Mark Wahberg e Steve Levinson, deram vida a Boardwalk Empire, a nova série da HBO.

Passada na Atlantic City dos anos 20, às vésperas da Lei Seca, e contará a história das pessoas que compõe a máquina política e criminosa por trás do brilho e do glamour da cidade. Junto com o talento por trás das câmeras, o elenco inclui os atores Steve Buscemi, Michael Pitt, Kelly MacDonald, Michael Shannon, Dabney Coleman e Gretchen Mol.

Confira o que Terence Winter e Martin Scoresese tem a dizer sobre a série:

17.9.10

Rizzoli & Isles: Bang, Bang, Bang e a Melhor Season Finale da Summer TV

Isso que é uma season finale!!!

Ficou a cargo da série que até antes de começar a assistir achei que seria completamente chata, a melhor season finale da Summer TV 2010. Rizzoli & Isles é uma daquelas histórias que te prendem do início ao fim, cheio de reviravoltas e muito carga dramática, ao estilo Grey's Anatomy (que pode ter todos os defeitos, mas sabe como fazer um final).

Na verdade, esse fim foi só a confirmação da uma série perfeita. Eu me lembro que quando eu vi o primeiro episódio eu pensei: "Nossa, como tem cara de Season Finale essa história" e por muitos episódio, mesmo naqueles mais perfeitos eu duvidava que conseguiriam fazer um episódio de encerramento que mantivesse o nível elevado da série.

A história das amigas Jane Rizzoli e Maura Isles teve todos os ingredientes de um bom drama policial que junto com o toque de humor das protagonistas envolve de uma forma que você nem sente o tempo passar. E é tão bom quando você pode olhar, no caso os 10 episódios da temporada, e não conseguir escolher os melhores porque todos foram melhores dentro da propósta que tinham.

Eu posso destacar o primeiro episódio, See One, Do One, Teach One, que mostrou bem as personagens e a história de Jane, que voltaria alguns episódios à frente. Sympathy for the Devil, outro que é pessoalmente um dos meus preferidos da série e no geral com as outras séries, que lidou com o assassinato de um garoto, que foi ao primeiramente ligado a um culto africano, depois de uma reviravolta o pai dele era o culpado. I Kissed a Girl foi divertido. Jane se passando por lésbica, Maura encarnando uma garçonete sexy. Foi um dos episódios onde houve um toque maior de comédia. O episódio seguinte foi um daqueles intensos, Born to Run mostrou a difícil missão de se encontrar um assassino no meio da multidão de um maratona. Destaque para cena "fofa" entre Jane e Maura no final do episódio.

The Beast in Me foi especial. No começo da série eu até cometei que era mais Rizzoli do que Isles, mas o 9º episódio foi inteiramente voltado para Maura e sua história foi fantástica. Filha de um mafioso, lidando com o que ela é e o que poderia ter sido. O interessante é que numa fração de segundo acontece alguma coisa bombástica e você se pergunta: "Meu Deus, como aconteceu isso!". Sorte que podemos "voltar a fita" e ver de novo.

E finalmente When the Gun Goes Bang, Bang, Bang. Frankie à beira da morte, Maura com a vida nas mãos, Jane completamente desesperada e no final do episódio, também a beira da morte. Suspense, mistério, traições. Isso só confirma o que a TNT e todos que acompanham a série já sabem. Rizzoli & Isles é definitvamente uma das melhores séries de 2010 e dizer isso num ano que já passaram grande coisas e estamos as vésperas de novas séries é realmente incrível.

A série termina com aqueles ganchos de tirar o fôlego. Câmera lenta, seguindo os movimentos, um tiro e o tempo para. Vai demorar um ano até que ele volte a andar. Mas enquanto não sabemos o que nos espera, posso ficar com a certeza que essa foi a melhor Season Finale da Summer TV. Ponto.

Até!

16.9.10

Eu, eu mesmo e... White Collar


Eu já falei sobre isso algumas vezes, mais nunca em um post completamente relacionando como este. No ano passado eu meio que acompanhei os acontecimentos anteriores a estréia de White Collar. Isso significa ver notícias, fotos, traillers. Mais finalmente quanto a série começou eu simplesmente a ignorei. Foram várias tentativas para assistir ao piloto, mais sempre tinha preguiça ou outra série que eu preferia ver à WC.

Mas depois de True Blood, eu decidi que seria vez de por em dia White Collar e a pouco mais de dois meses, eu acho, comecei a assistir a série e não demorou muito para eu gostar e querer assistir mais e mais.
Bem, mas quando eu assisto várias temporadas em sequência, sem intervalos, é como se a história não tivesse parado, que simplesmente era mais um episódio da mesma temporada. Entende. Quando eu terminei de ver a primeira temporada a segunda já havia começado e como a história continuava com  a mesma linha da temporada passada, foi como se tudo fosse a mesma coisa.

Enfim, hoje eu assisti ao Summer Finale, o fim da primeira parte da série, e agora sim vai ser divertido, porque terá um intervalo de um ano até que ela volta e aí sim vai parecer uma nova temporada.

Mas falando um pouco da série, não é que ela seja ótima. Confesso que depois de vinte e poucos episódios seguidos você se cansa um pouco, mais WC tem tantos pontos interessantes. Os personagens são claramente caricatos, levado à fundo dentro do esteriótipo. Neal é o bandido perfeito, Peter é o agente número 1, Mozzie é um gênio e todos os sentidos, Elizabeth é a esposa dedicada e compreensiva. Mas o que poderia ser extremamente tediante, funcionou muito bem e todos os personagens, maravilhosamente interpretados por ótimos atores, se completaram de um forma interessantíssima.

White Collar apareceu para mim num momento em que as séries policiais, de investigação e espionagem afloraram. Eu era fã do gênero médico e para não dizer que eu não via nada policial, tinha CSI, Cold Case, Law & Order, mas só episódios esporádicos. Em 2010, devido a tantas séries do estilo que já vieram e estão vindo, eu me vi diante de um "novo mundo" que eu estou gostando em demasia.
Fiquei com tanta pena do Mozzie... Coitado! Mas diferentemente da temporada passada, eu vou ter que esperar e respiro de alívio por isso!

Até!

Fall Season 2010: It's Always Sunny in Philadelphia (6ª Temporada)

IT'S ALWAYS SUNNY IN PHILADELPHIA (FX)
Sexta Temporada

Episódio Mac Fights Gay Marriage (16|09|09)

A série é centrada na vida de quatro amigos egocêntricos, propensos a opiniar sobre tudo e cujos juízos no geral acabam causando problemas. Mac (Rob McElhenney), Charlie Kelly (Charlie Day) e Dennis (Glenn Howerton) são amigos e donos do “Paddy's Irish Pub”, um bar em Filadélfia. Seus desejos de fazer com que o negócio tenha sucesso  se mistura a uma certa necessidade de vitimar certas pessoas que aparecem de vez em quando. Temas complexos como o racismo, o álcool entre menores de idade, as armas e a morte, aparecem no universo destes jovens que parecem espertos, mas sem nenhuma consciência.


It's Always é de longe um dos maiores arrependimentos da minha vida em se tratando de séries. Eu conheço ela à pelo menos quatro anos e ela já estava presente bem no começo do meu blog e infelizmente eu nunca dei tanta atenção para ela quanto para todas as outras apesar de ser muito boa. Assisti a primeira e a segunda temporadas completas e depois apeisódio aleatórios da 3ª, 4ª e 5ª. O fato é que eu gostaria de assistir ela completa, mas as vezes é complicado ver as que eu já estou acostumado, que dirá inventar de assistir mais alguma.

Enfim, a 6ª temporada começa hoje e para variar, essa gangue está mais doida do que antes. Este ano, trataram de casamento gay, combate a guerra de classes, batalha naval em alto mar e uma gravidez muito misteriosa. E como eles, é claro, do lado errado da história.

"Temos que lidar com as emoções dos personagens e com o que eles estão passando em suas vidas", disse Charlie Day. "De certa forma, há questões mais polêmicas do que das temporadas passadas."

Então, se você já assiste, fica esperto porque a série volta hoje e se você ainda não assiste, não siga o meu exemplo e reserve um tempo para IASIP, porque você não vai se arrepender. Quanto à mim, bem, quem sabe um dia eu consiga colocá-la em dia.

Até!

Game of Thrones: O inverno está chegando


Já comentei aqui que sou muito fã de séries, filmes, livros e qualquer coisa que remeta à idade média e o gênero "épico" em geral. É estou muito contente por saber que logo no ceomeço do ano que vem, já vai ter uma série nesse estilo e com toda a qualidade caracteristica da HBO.

Game of Thrones é baseada nos livros de George R.R. Martin e finalmente foram liberadas as primeiras imagens em um trailler que só serviu para comprovar o que eu já esperava e para me deixar com mais vontade de assistí-la.

A série é um luta épica pelo poder de um reino ficitício, vasto e violênto, onde o verão dura décadas e o inverno pode durar para sempre. A luta pelo Trono de Ferro começou. Ela se estenderá para o sul, onde o calor daquele povo acenderá paixões e intrigas. Nas terras selvagens do leste e no caminho para o norte, uma parece de gelo protege o reino das forças obscuras. Reis e rainhas, cavaleiros e renegados, senhores de terra e homens honestos e mentirosos, vão jogar o "Game of Thrones".

Alguém ficou superinteressado? Pois eu estou.

Confira os trailers:

Rookie Blue: De qualquer forma, muito MUITO bom

- Ótimo de qualquer maneira...

Rookie Blue foi uma das melhores entre as melhores séries da Midseason 2010. Cada episódio, os personagens, a trilha sonora. Tudo incrivelmente junto formando uma série coesa, quase sem falhas ao meu ver.

Bem, eu preciso falar sobre a disposição dos episódios. "In Blue" e "Takedown" foram os dois últimos episódios da temporada e ao mesmo tempo entrou para o hall dos melhores da série. Só que, o 12º, In Blue, teve muito mais cara de Season Finale do que a própria Season Finale.

Sabe, tenho reparado que quanto mais eu gosto de uma série, mais é dificil se falar nela, sem cair na repetição de elogios e coisas do tipo. Por isso que gostando de Rookie Blue tão "profundamente" nunca falei tanto dela aqui e quando falava era sempre para dizer que estava adorando. Experimente ir atrás dos post sobre a série para você vê!

14.9.10

True Blood: Fadas, Bruxos e a Season Finale


A primeira coisa que eu pensei quando True Blood acabou foi: "Graças a Deus não teve um gancho tão urgente de se ver como nos anos anteriores". Em seguida pensei "Porque o episódio não foi como nos anos anteriores?

Acho que depois de uma fase elogiando tudo e todos eu entrei numa fase crítica e chata e nem eu estou gostando de mim deste jeito. Até porque quando eu não falo bem de uma série e vejo todos falando bem (ou vice-versa) e fico imaginando se eu que estou errado em achar aquilo ou se os outros que estão cegos. Um momento recente disso foi sobre o retorno de The Vampire Diaries que parece que o mundo adorou e eu não achei tão legal assim. Quer apostar quanto que se eu tivesse gostado o mundo odiaria?
Enfim, voltando ao foco... 

13.9.10

Aquele do Aniversário de 2 anos

Parabéns pra você, nesta data... Ah, você sabe!
Gente, já passou dois anos. Devo admitir que é uma marca histórica em se tratando de algo feito por mim. Tenho a fama de nunca terminar ou dar continuidade as coisas que eu começo. Absolutamente. Foram muitas tentativas de criar um espaço meu na internet onde eu poderia falar sobre as coisas que eu gostava e eventualmente de mim mesmo.

Minha primeira tentativa foi em 2005, com um velho descohecido Flogão. Alguém ainda se lembra disso? Era um sucesso. Todos, eu não. Bem, depois de vários outros serviços eu cheguei a um tal GigaFoto que hoje nem assiste mais e foi meu primeiro contato com o falar de séries para os outros. Na verdade, falar de Friends. Foi uns poucos meses onde eu achei que poderia fazer algo relevante sobre a série. Mas foram momentos felizes que eu me achava um máximo com os efeitos e as cores que eu usava. Santa Ingênuidade.

Depois de acabar com esse eu parti para um assunto totalmente diferente na busca por ser reconhecido. Foi a vez de tentar a sorte na música. Também foram alguns messes falando dos cantores e músicas que eu gostava. Eu tinha muitos planos e nenhuma idéia de como executá-los. Esta também foi uma tentativa falha.

Depois de algum tempo desiludido com esses serviços, em 2007 eu conheci o Wordpress e resolvi que se eu não conseguia falar de outros assuntos, poderia falar sobre a única coisa que eu conheço bem. Eu mesmo. Foi quando eu descobri que minha vida era muito chata e que não havia razão nenhuma para falar de mim mesmo.

E assim foi até setembro de 2008, que, numa noite como tantas outras que iriam se repetir várias vezes, eu estava no meu velho computador e estava dando House na televisão quando eu decidi que iria tentar de novo. Falando em Séries! Só que este nome jnão estava disponível e depois de pensar muito, é pensar muito, eu tirei um S e surgiu o Falando em Série.

A propósta era tão simples e ao mesmo tempo tão audaciosa para uma pessoa que não tinha experiência nem bagagem nenhuma para aquilo. Meu primeiro, eu acho que único slongan era "uma visão pessoal de um seriemaníaco". Porque eu no auge da minha ignorância me achava um seriemaníaco. O começo do meu blog serviu simplesmente para me mostrar que eu não sabia na sobre séries. Que as poucas coisas que eu havia visto no SBT e na Record não me credenciava para falar sobre séries. Sim, eu comecei isso aqui com uma "bagagem" de séries de TV aberta. Óbviamente eu não esperava nada além do fracasso.

Nikita: Lá vamos nós...


Não tenho muito o que falar sobre Nikita além do "foi totalmente diferente do que eu imaginava". E geralmente quando se usa essa frase é para caracterizar que algo se saiu mal, já que na maioria das vezes, sempre pensamos que algo vai ser bem e não sei. Neste caso é diferente. Até o dia da estréia da série eu não sabia muito sobre o que se tratava série a não ser pelas poucas coisas que li acerca dela. Sabia que era uma versão de uma história famosa, espiões, tiros e etc... E o ponto principal, que sempre me faz desconfiar do potêncial da série. Ser da CW.

Não tenho nada contra a rede, muito pelo contrário. The Vampire Diaries e de lá, Supernatural é de lá e Everybody Hates Chris e Reaper eram de lá. Mas como existem muito mais coisas que eu não gosto lá, é normal é pensar que o que vai seguir a mesma linha. Mas eu me surpreendi pelo que a série apresentou que é de longe um estilo diferente do que a rede costuma apresentar. Não é uma série adolescente. Pode até fazer sucesso entre a faixa, mas a história não é, necessariamente, para essa faixa.

Na verdade a trama tinha tudo para ser complexa, mas apesar dos desdobramentos que virão, o piloto mostrou muita coisa e até o momento, dos três episódios da Fall Season que eu vi (Hellcats e The Vampire Diaries) se mostrou o mais completo. Basicamente tudo vai girar em torno da vingança de Nikita contra Division, uma seção do governo que esconde muitos mistérios e é responsável por muitos missões que "protegem" o país. Até aí está tranquilo. O ponto é, que existem toda uma "trama sentimental" por trás. Conexões dos personagens e principalmente da protagonista, que já se mostrou, ao mesmo tempo forte, ágil e inteligente, emotiva e refém das lembranças.

Uma personagem que claramente despontará e já é uma das que eu sei que vou gostar, é Alex, que mostrará como é o treinamento da Division e tudo mas, com um bônus de estar trabalhando com Nikita. Michael é o personagem responsável pela parcela "inimiga" da série, se é que podemos chamar issa, já que aparentemente essa é daquelas que todos tem desvios de carater e lapsos de bondade.

Acho que é só isso. Eu realmente não tenho muito o que dizer da série. Eu gostei (pra variar) e vou continuar assistindo e provavelmente eu vá anexando mas comentários ao longo da temporada. É bom ver que a CW consegue produzir séries de qualidade que partem de um ponto diferente que não a futilidade e afins (nada contra, só minha opinião).

Obs.: Esqueci de falar de Melinda Clarke! Nem tenho o que dizer dela... Gosto muito! De uma perua rica à mãe alcoólatra, passando por uma agente secreta, sempre incrível!

E lá vamos nós Niki...

11.9.10

The Vampire Diaries: O jogo começou...


Devo admitir que depois de quase um ano e de tanta ansiedade eu esperava um pouco mais desse primeiro episódio. Que fique claro que eu não estou falando que foi chato, muito menos mal da série. Eu jamais faria isso. De verdade. É só que, não achei que foi um "abertura" de temporada e sim mas um episódio da primeira. Talvez pelo modo que começou, exatamente onde parou, ou melhor um pouco antes. Não sei, são muitas dúvidas e questinamentos aos poucos vão ser respondidas, mas outro fato curioso que me fez achar que The Return não foi tão bom assim, foi a falta de um, nervosismo, ou euforia por ele. Foi simplesmente normal e normal para uma série que desde o início tirava o fôlego. Até mesmo em partes mais intensas não houve aquele clímax como houve até mesmo no primeiro episódio.

Falando sobre Katherine, alguém ficou desapontado com ela. Eu fiquei, porque foi tanto falatório sobre ela e tal. O ano de Katherine está só no começo, eu sei, mas ela me pareceu "mimada" e bobinha demais para uma vampira com o histórico dela. Parecia muito mas ameaçadora nos flashbacks. Nem na cena final com Caroline ela não se mostrou tão perigosa quanto eu imaginava. Sei que é cedo para tirar conclusões, mas partindo do fato que a série está na segunda temporada, acho que já posso ser mais rígido quando a qualidade dela.

Bonnie já foi uma personagem que eu gostei muito e parafraseando com Damon, a história de ser bruxa está subindo a cabeça dela e transformando-a numa pessoa chata. Tenho quase certeza de que não haverá muita história para ela e de modo que ela passará a maioria dos episódio fazendo aparições daquele tipo. Espero que não.

Sobre a história de Tyler, sinto que não vou gostar. Não tinha uma empatia com ele antes, de modo que é complicado ver um grande parcela da história destinada a ele e mais uma vez as expectativas ao primeiro momento não foram superadas quando se fala de Mason Lockwood. Mas sigamos e falemos de Damon.